30 de jul de 2014

7 erros frequentes a serem evitados em currículos


Há pelo menos 20 anos tenho feito seleção de estagiários e profissionais para as áreas de administração, tecnologia, design e comunicação. Neste tempo todo o que mais vi não foram currículos elaborados para a vaga em aberto, mas sim compêndios de conhecimentos e realizações, além de observações que nada tem a ver com a vaga.

Em todas as seleções que participei as vagas foram preenchidas com candidatos aptos e excelentes (um abraço e obrigado a todos), mas na grande maioria dos casos os currículos não eram nem mesmo adequados para a vaga.

Veja abaixo alguns erros típicos que você pode evitar na hora de planejar, redigir e diagramar seu currículo, seja para o envio para vagas em aberto ou para bancos de talentos. 

1 – Nem sempre o mais simples é o melhor
Sim, você tem que ser o mais objetivo e sucinto possível, apresentando o menor e mais eficiente currículo que possa. Mas isso não quer dizer que você deve apresentar uma simples folha de papel redigida em Times New Roman corpo 12 em fundo branco.]

Invista na diagramação de seu currículo. Mesmo para áreas e cargos mais exigentes e sérios existem vários formatos com uma apresentação ímpar e com tópicos bem apresentados.
Se você é da área de design e comunicação, busque diagramar seu currículo com fundos diferenciados e tópicos com ícones para ressaltar como você é criativo mesmo em seu currículo. Se for de uma área mais séria, que exige um formato mais sóbrio, invista na contratação de um profissional ou amigo da área de criação para que seu currículo possa se destacar dos outros candidatos.

Claro que o que importa é o conteúdo do seu currículo. De nada adianta ter pouca ou quase nenhuma experiência e ter o currículo bonitão. Mas se o seu currículo tiver conteúdo e boa apresentação, for criativo mesmo que para uma área mais sóbria, pode ser um bom critério de desempate para o selecionador chamá-lo para uma entrevista. 

2 – Não aparente viver no Século XX
Invista na maior quantidade de canais de comunicação possível. Na era da Internet, soa estranho um designer, publicitário e outros profissionais da área de criação não terem um portfólio digital, assim como qualquer outro profissional ou estudante em busca de oportunidades no mercado de trabalho não ter seu currículo online.

Seja no LinkedIn ou em outro site ou rede social, você deve mostrar seu perfil e trabalho ao mundo. De quebra, no LinkedIn, o selecionador pode acessar as recomendações de seus antigos chefes e colegas de trabalho.

Quando for solicitado o envio de portfólio, envie o link de seus trabalhos.
Para o currículo, “pelamordedeus”, nunca envie um “.doc” do Microsoft Word. Sempre dê preferência pelo envio de PDFs ou também por currículos online (LinkedIn e outros).
Dê a impressão de ser uma pessoa conectada e entrosada com os novos (nem tão novos assim) meios de comunicação. 

3 – Não apresente experiências que não tem relação com a vaga
Omita experiências que sejam muito fora da área da vaga. Faça o seu currículo o mais focado na vaga possível.

Se a vaga for para analista de marketing, não adianta mostrar que há três anos você foi um garçom e atendeu como recepcionista de um hotel. Claro que estas experiências colaboram para seu entendimento do mundo e até podem vir a colaborar para seu trabalho na futura vaga, mas muitos selecionadores podem ver isso com maus olhos, achando que você demorou muito para entrar no mercado de trabalho para a área de trabalho em questão.  

Sempre que possível, pense no perfil do selecionador, da empresa e, sobretudo, da empresa que você está interessado em trabalhar. Na redação de seu currículo você perceberá que tudo muda quando temos em mente quem fará a leitura de seu currículo.
Lembre-se, o que não importa, não interessa no currículo. 

4 – Se for bonita(o), deixe para impressionar na entrevista
A menos que tenha sido solicitado, não coloque em seu currículo algo que não foi solicitado, como foto, seu CPF, RG, CNH e outros dados.

No caso da inserção de sua foto, quase sempre pode parecer que você quer impressionar pela aparência e não pelo que você sabe ou é capaz. Em alguns casos é imprescindível uma boa imagem, mas deixe para impressionar na entrevista.

Tenha um foco sempre no que a empresa terá de retorno com sua entrada na equipe. Você contrataria alguém pela aparência física em detrimento dos conhecimentos exigidos (não vale vaga de modelo)?
A menos que você tenha pressa e prazo para o envio do currículo, redija-o e mostre a outras pessoas de confiança. Uma boa tática é salvá-lo e ler no outro dia para ter outra percepção do que você escreveu. 

5 – Nunca minta sobre idade, nível e itens de seu conhecimento
Não vale a pena passar pela péssima experiência de pagar mico dizendo que sabe falar inglês e na hora o entrevistador descobrir que você nem sabe o elementar.

Fale mais sobre suas qualidades, experiências e nos resultados alcançados por você nas últimas atividades profissionais do que em algo que você ainda não pode dizer que entende.

Lembre-se: se você é bom naquilo que a empresa procura, o que importa é se você é uma boa pessoa que vai agregar valor e dar retorno à equipe a qual quer trabalhar. 

6 – Não aparente estar louco pela vaga
Comentários em seu currículo ou mensagem de email que denotem que você está desempregado ou loucamente disponível podem denegrir todo conhecimento que você tenha, mesmo que seja focado na vaga.

O que o recrutador entenderá de algumas frases típicas dos currículos: 

O que você pensou em dizer: Tenho disponibilidade imediata
O que o recrutador entenderá: Estou desempregado, desesperado ou estou louco para sair do atual emprego.
O que você deve dizer ou escrever: Dependendo dos planos da empresa para início dos trabalhos, estarei disponível mesmo reavaliando outros compromissos.  

O que você pensou em dizer: Gostaria muito de trabalhar nesta empresa.
O que o recrutador entenderá: Por favor, me selecione o mais rápido possível.
O que você deve dizer ou escrever: Avaliei bastante os valores e objetivos da empresa e acredito que poderia agregar valor nesta equipe e obter excelentes retornos à empresa.

7 – Não tente impressionar
Nunca, definitivamente nunca, aparente mostrar que você deu uma de espião e sabe tudo sobre a empresa e muito menos os nomes e cargos dos membros da equipe. Isso pode demonstrar que você está interessado até demais na vaga.

Faça sua avaliação da empresa, mas não utilize isso para tentar mostrar que você é melhor para a vaga. Utilize a pesquisa sobre a empresa para formular de forma mais focada o seu currículo.

Em geral, mostre o que você tem de melhor desde que seja interessante para a empresa, para o recrutador e para você mesmo. Antes de pensar no que escrever, pense se você contrataria a si mesmo para a vaga em questão. 

-------
Vicenzo Berti é sócio da EquipeDigital.com em Florianópolis/SC e trabalha com internet desde o milênio passado. Já trabalhou com vários projetos digitais no Brasil e no exterior. 



12 de jul de 2014

Como contratar um designer ou programador para fazer meu site?

Como contratar um designer, como contratar um webdesigner, como contratar um programador ou com o que devo me preocupar para fazer meu site? São questões que certamente já passaram pela cabeça de muitos empresários, gerentes e diretores. Seguindo os passos abaixo você certamente minimizará muitos problemas. 

Planejamento
Antes de contratar alguém para fazer seu site você deve primeiro saber exatamente quais são seus planos para com o site. Deseja apenas um site para divulgação? Venderá diretamente pela internet (loja virtual)? Utilizará o site como ferramenta de intranet para clientes, fornecedores ou colaboradores? Qual o objetivo real do site?

Lembre-se que as possibilidades na internet são ilimitadas e que você pode utilizar todos estes recursos para turbinar seu negócio, mas se isso tudo não for planejado, de nada adiantará esforços dispendiosos e você estará dando tiro na água.

Antes de procurar alguém para fazer seu site, tente saber quem é seu público, montando perfis e detalhando o máximo possível sobre qual o tipo de cliente você já tem ou acha que teria com seu novo projeto. Trabalhando com base em perfis certamente você e a equipe que você contratará, seja agência digital ou freelancer, terá maior assertividade nas ações de construção do site e sua divulgação.

Exemplo de resultado de levantamento de perfis:
Atividade da empresa: Venda de pneus.
Homem de 25 a 65 anos.
Casado ou com relacionamento sério.
Problema: Precisa trocar os pneus do carro que estão carecas.
Deseja boa relação custo-benefício para troca dos pneus. 

Existem várias formas de levantar seus perfis de público. A forma mais simples de levantar o perfil deste público é pesquisar na internet sobre o que este público está pesquisando. Procure por comentários em posts de redes sociais, em sites de vídeo, em sites de respostas e vários outros canais. 

A forma mais profissional de fazer este levantamento seria contratar uma empresa específica para este serviço, o que sugiro expressamente, mas tudo dependerá de suas possibilidades de investimento.
É importante que você visite os sites de seus concorrentes diretos, de empresas de outras cidades, estados e até mesmo de outros países para se inspirar e também para ter certeza do que não deseja para sua empresa e principalmente para seu público. Anote tudo, tudo mesmo, até mesmo o que você não gostou. Todas as suas anotações serão muito úteis aos profissionais que trabalharão em seu projeto web.

Se você tiver mais claro o que quer será muito mais fácil obter um orçamento perante a empresa ou profissional que fará seu site, loja virtual ou sistema. Além disso, metade das perguntas que os profissionais fariam, ou deveriam fazer, já estarão sanadas. Faça anotações no papel com itens, desenhos, rascunhos e depois monte um documento claro com comentários sobre cada ponto, separados por páginas.

Exemplo: 
Links desejados
1 - Home (inicial)
– Sliders com imagens e textos rápidos sobre os principais serviços [imagens com rostos humanos];
- Texto de apresentação [explicando o que fazemos incluindo tags para Google];
- Vídeo para rápida apresentação da empresa;
- 3 boxes pequenos com destaque para os diferenciais da empresa;
- Rodapé.

2 - Link A Empresa
Texto de apresentação da empresa com foto da fachada da loja de pneus.
3 – Serviços
Lista de serviços.
etc etc etc....

O que não gostei
- Alguns sites de concorrentes meus utilizam muitos slides na capa do site. Não gostaria disso no meu site;
- Percebo que alguns sites tem muitos textos. Quero ser mais direto. 
Para todos os pontos, lembre-se de que não deve planejar algo que não dará conta depois, tal como links de notícias que depois ficarão desatualizados, galerias de fotos e outros itens que muitas vezes são incluídos e depois ficam obsoletos. Não há nada pior na internet atual do que chegar a algum lugar e nada encontrar. A regra é: se não vai atualizar, não divulgue.
Depois de planejar exatamente o que quer, lembre-se que esta não é sua praia e que certamente é importante expor o que planejou e aguardar que o profissional de internet faça seus comentários e colabore com novas ideias e alterações ao seu planejamento original. Já que você fez uma ampla pesquisa para selecionar uma boa empresa, confie a seus profissionais para que cheguem na melhor solução. 

Quem contratar
Sobre quem contratar? Seguem dicas abaixo:
Como procurar um webdesigner ou agência digital?
Minha dica principal é que você confie em sua rede de contatos diretos e confiáveis. Pergunte a seus amigos que possuem empresas e projetos particulares quem eles contrataram e se tem boas referências para profissionais e agências digitais (de internet).
Se conseguir uma boa indicação, avalie o portfólio da empresa e todos os pontos levantados neste artigo. Mesmo com uma boa indicação é importante que você se sinta bem com a equipe que se tornará sua parceira.

Caso não tenha conseguido indicações, faça uma busca no Google para obter relações de empresas. Considere a contratação das empresas que estão bem colocadas no Google, pois se o algoritmo do “grande irmão digital” selecionou estas empresas é porque certamente elas respondem pelos sites mais relevantes para a relação de palavras-chave que você digitou em sua procura. Não é apenas coincidência que somente empresas estarão na lista principal da primeira página do Google para as principais combinações sobre criação de sites. Procure por “criação de sites em SUA CIDADE”, “agência digital em SUA CIDADE”, “empresa criação sites SUA CIDADE” e outras combinações parecidas.

Selecione no máximo cinco empresas, de preferência em sua cidade, avalie seu portfólio (qualidade para projetos gráficos e design), maiores clientes (crediblidade), tipos de serviços (abrangência web) e faça contato.

Para fazer contato, tenho também uma dica boa. Faça contato por um canal secundário, como facebook ou Twitter. Se a empresa não responder em até dois dias úteis, é porque não há uma área ou responsável pelo atendimento da forma que deveria. Uma boa empresa de web estará ou deveria estar preocupada com sua presença digital e estará sempre atenta aos contatos por todos os canais possíveis e prováveis que estariam abertos na web.

Lembre-se que muitos projetos devem contar com reuniões presenciais para captação de seus requisitos. Apenas sites simples de divulgação contam com planos fechados. Projetos maiores não devem ser orçados com listas de requisitos. Numa reunião presencial muitos pontos podem ser retirados e outros acrescentados pela redução nos investimentos necessários e qualidade do projeto. 

Sobre a empresa a ser contatada
Solicite orçamento com base em seu planejamento e não deixe de visitar a empresa. Assim você poderá perceber se o que a empresa apresenta na Internet é real ou se o site deles apenas engana. Além disso, como já citado, a empatia com o profissional, com a empresa e com o estilo de projetos gráficos (layouts) criados é crucial para o sucesso de seu projeto.

Neste momento é legal perguntar qual a metodologia utilizada para construção do site (HTML5, CSS3, PHP etc.), qual o planejamento feito para seu projeto, qual o sistema de atualização (CMS), se há algum workflow utilizado para produção (metodologia), além dos clássicos prazos, formas de pagamento etc. Boas empresas possuem métodos bem experimentados para que não haja nenhum ponto esquecido na produção. Na EquipeDigital.com nossa equipe trabalha com a criação de sites e sistemas desde o milênio passado e hoje temos um documento de briefing que conta com 14 páginas muito bem detalhadas. Assim, temos um checklist de toda a produção. Detalhes não previstos em algum projeto podem ser anotados e toda equipe tem acesso ao documento durante toda a produção. Trata-se de uma documentação única sobre o projeto e pode ser consultada inclusive depois do projeto já concluído. Pergunte sobre qual a metodologia de trabalho antes mesmo de contratar.
Fazer perguntas avançadas seria uma ótima ideia. Pesquise sobre os temas que citarei abaixo, saiba do que se trata por alto e pergunte para o profissional que lhe atender se estes conceitos serão tratados no projeto caso seja feita a contratação. Pergunte sobre usabilidade, arquitetura da informação, ergonomia e marketing digital.

Falando em marketing digital, sugiro que dê preferência por empresas que possam lhe prestar um serviço completo, com planejamento digital, criação de sites e canais de redes sociais, curadoria de redes sociais e geração de conteúdo, além de campanha de links patrocinados e outras soluções de divulgação. Foi-se o tempo em que bastava criar um site e publicá-lo na internet. Agora é necessário divulgá-lo, e muito. Comparo a atual situação da internet a uma cidade em ampla expansão urbana. Quando a cidade ainda era pequena, bastava abrir uma loja no centro da cidade e obter o retorno (web da década de 1990). Com a cidade maior, é caro ter uma loja no centro e mesmo que você tenha ainda precisa anunciá-la, pois há muitas lojas concorrentes (situação atual da web, sobretudo em capitais). 

Para contratar
Depois de analisar cada ponto do orçamento e escolher a empresa, peça para ter acesso a minuta do contrato, tire suas dúvidas e firme o contrato, que certamente deve prever todos os itens contratados e toda a conduta de ambas as partes para que não haja problemas. Pergunte sempre e não fique com nenhuma dúvida. Caso seja necessário, fique atento que seu projeto pode sofrer adaptações. Além disso, sempre há limitadores, tais como cotas de e-mail e armazenagem de arquivos na hospedagem de seu site, tempo máximo de suporte via contrato e outros.

Por último, deixe a empresa dar o máximo de si e leve sempre em consideração que nem sempre o que você acha que é bom para você é bom para seu público e consequentemente para seu negócio. Deixe a empresa que fará o site dar sugestões e analise cada ponto. Ótimas e novas ideias surgirão na primeira reunião de briefing e, se tiver ao lado bons profissionais, você certamente verá seu negócio de uma forma que nunca viu. 

Credibilidade, comprometimento e parceria (empresa ou agência versus freelancers)
Pense que você precisa de alguém para fazer seu site, mas também precisará fazer alterações, atualizações, manutenções, suporte e não poderá ficar na mão. Neste caso, é imprescindível que não pense em curto prazo e procure alguma equipe a qual você tenha empatia. Você não precisa apenas de um fornecedor, mas sim de um parceiro. Lembre-se disso!

Credibilidade e comprometimento são cruciais em quaisquer áreas do mercado, mas nas áreas que envolvem novas tecnologias e inovação, é tradicional que profissionais aventureiros queiram se embrenhar em atuações que não possuem a mínima noção ou formação. Sua garantia maior será, além de um bom contrato de prestação de serviços, a estabilidade da empresa contratada, que deve ter pelo mais de três pessoas para atendê-lo.

Existem muitos freelancers bons, mas a grande maioria dos bons serviços de internet é prestada por empresas que podem manter equipes para prestar um serviço de qualidade para você. Sugiro que você procure uma agência digital, uma empresa que poderá proporcionar para seu projeto uma equipe que incluirá profissionais de várias áreas do conhecimento como design, programação (TI), comunicação (jornalismo, publicidade etc.), entre outras áreas.

Se você contratar uma empresa, sempre que precisar do profissional que fez seu site e ele não estiver na empresa, a secretária ou outro colega poderá anotar o recado e, mesmo na ausência definitiva do profissional, alguém dará jeito no seu problema. 

O site está feito, e agora?
A grande maioria dos empreendedores pensa que feito o site tudo está resolvido, mas é só o primeiro passo conquistado e muitos ainda estão por vir. Agora é hora de trabalhar para ativar sua empresa no mundo digital divulgando o site como canal principal para os clientes.

Embora você esteja preocupado primeiro com seu site, sugiro que já tenha planejada a parte de divulgação do site mesmo antes de terminar sua produção. Dependendo do projeto, os investimentos em divulgação são imensamente maiores do que os investimentos em criação, manutenção e infraestrutura.

Caso você ainda tenha alguma dúvida, envie uma mensagem para nós, através de nossos canais de redes sociais (Facebook, Twitter) ou ligue para nossa empresa (48)3233-0606. 

Vicenzo Berti é sócio da EquipeDigital.com e trabalha com internet desde o milênio passado. Já trabalhou com vários projetos digitais no Brasil, em Portugal, Canadá, outros estados brasileiros e principalmente em Florianópolis/SC, onde reside. 

Glossário:
- Slider: area do site onde laminas com imagens são apresentadas uma de cada vez;
- Slides: imagens que são apresentadas no slider;
- Boxes: áreas quadradas onde são apresentados conteúdos;
- CMS: Content Management System, em inglês. Sistema utilizado em sites para atualizar os conteúdos do mesmo sem necessidade de muito conhecimento técnico;
- Workflow: Fluxo de Trabalho, em inglês. É a seqüência de passos necessários para que se possa atingir a automação de processos de negócio.