16 de jun de 2015

10 tendências de Internet e empreendedorismo para 2016


O que está vindo com tudo ou se afirmará como tendência no próximo ano?

Muitas coisas tem despertado a atenção de todos os usuários de internet e empreendedores nos últimos anos. Mas existem coisas que aparecem e depois não se consolidam.

Abaixo listamos as tendências concretas para 2016.



1 – Conteúdo como forma de divulgação da empresa, sua marca ou produto
Investimento em geração e distribuição de conteúdo em sites e redes sociais, reafirmando as estratégias de inbound marketing para empresas, sobretudo de pequeno porte.
Cada vez mais o todo poderoso algoritmo do Google se reafirma como líder nas listagens de pesquisas na Internet. Neste sentido, cada vez mais o algoritmo dará importância ao conteúdo dos sites e qualquer um que queira manter sua presença digital em relação aos seus concorrentes precisa investir em conteúdo específico para o seu nicho de mercado. Mas também não adianta escrever qualquer coisa e pedir pra secretária “colocar” no YouTube. É necessário um planejamento prévio e, pra isso, é bom você contar com uma empresa especializada ou um profissional especializado para este trabalho. O grande segredo é produzir conteúdo para o público que você deseja atingir. Se um cliente em potencial não for até o seu site, pelo menos ele poderá achar teu texto através do algoritmo do Google. Leia mais sobre isso neste artigo publicado em nossos canais.
Existem vários dados que comprovam que a médio e longo prazo o investimento em geração e publicação de conteúdo acaba por reduzir a necessidade de investimentos em anúncios, links patrocinados e outros.
O conteúdo é rei! Aproveite esta onda que veio para ficar.

2 – Internet das coisas
Não estou falando só no relógio da Apple (iWatch) ou Samsung (Gear) que se comunicam com o seu smartphone para atender chamadas, ler email e outras coisinhas do dia a dia, mas sim a internet em outros aparelhos como televisores, geladeiras, carros, óculos e até mesmo roupas. Ainda em 2016 a Internet das coisas entrará em nossas vidas da mesma forma que não vivemos mais sem as telas touch screen em smartphones e tablets. Logo você estará enviando um comando para a geladeira ou forno de micro-ondas para que o aparelho efetue um comando específico. Ou o seu carro avisará via WhatsApp ou SMS que você precisa trocar o óleo “dele”.  Ainda não estamos na história do livro Eu Robô, de Isaac Azimov, mas não demora muito.
Seja para interligar eletrodomésticos e utensílios que já conhecemos ou criando novos especificamente para uma nova função que ainda não existia, a Internet que interligará os dispositivos está só no começo e tem tudo para ter muito futuro. Quem já não se sentiu agoniado em usar uma câmera digital que não tem a possibilidade de compartilhamento por email, redes sociais e nem mesmo Bluetooth? Muito logo pensaremos o mesmo de nossa velha geladeira comprada há quatro anos e que ainda não nos avisa sobre a lista de compras a ser feita. Isso não parecerá estranho para muita gente até 2018.

3 – Otimização do tempo com aplicativos ou processos
Tudo bem que faz tempo que isso é tendência, mas com o crescimento do acesso móbile à Internet o crescimento de aplicativos que aperfeiçoarão a utilização do tempo em afazeres domésticos ou mesmo no trabalho será crucial para empreendedores e profissionais que cada vez mais buscarão agilizar o trabalho para que possam viver a vida.
Outra forma de otimização do tempo que estará cada vez mais em alta é a melhoria dos processos produtivos a fim de torná-los mais eficientes e por consequência possam demandar menos tempo de execução.
Além de gerar mais lucro para as empresas, proporciona mais qualidade de vida aos colaboradores e principalmente a executivos, o que acaba tornando-os mais felizes e eficientes.
Aliás, qualidade de vida também não deixa de ser uma grande tendência para os próximos anos.

4 – Impressoras 3D
Ainda muito caras, as impressoras 3D certamente serão presença certa em muitos lares e principalmente em empresas. Imagine uma peça que não há mais reposição no mercado? Dependendo da durabilidade da peça em muitos casos uma impressora 3D fabricará a peça que pode ser replicada muitas vezes. Seja pra compra da impressora ou mesmo contratação sob demanda, criando um mercado de bureaus de impressão 3D, veremos em poucos anos estes marcado expandindo exponencialmente.

5 – Relacionamento das marcas com o público
Não é novidade que as redes sociais se afirmaram no mercado e deixaram de ser coisa de adolescentes com tempo extra. Hoje grandes profissionais se utilizam das redes sociais para trabalhar, divulgar seus serviços ou produtos, bem como fazer negócio.
Mas o que será cada vez mais tendência será a relação que as marcas terão com o público, estando cada vez mais próximas e atentas ao que o público deseja e precisa. Quanto mais perto uma marca possa estar de seu público nas redes sociais, mais poderá crescer e se manter perante seus concorrentes.

6 – O vintage continuará com tudo
Sim, refiro-me a criação de produtos citando algum estilo de artes, design e costumes do passado. Num mundo onde parece que nada se cria, mas tudo se copia, naturalmente cria-se pouco e utilizam-se estilos antigos.
Embora eu até goste muito, sinto certa tristeza por afirmar que o vintage ainda será tendência, pois não me parece que qualquer uma das décadas do Século XXI será tão marcante quanto qualquer uma das décadas do século anterior. Digo isso em quaisquer pontos de vista das artes, design e costumes. Claro que somos muito melhores em tecnologia e inovação, mas em estilo... Espero que eu esteja errado e que venha algo realmente marcante nos próximos anos.

7 – A "gourmetização" se manterá
Dá até pra dizer que o vintage e a gourmetização são parentes, afinal há muitos foodtruks que vendem comida simples com um raio gourmetizador que vivem se utilizando do vintage para melhorar sua imagem.
Como dá retorno a muitos negócios, certamente continuará “na crista da onda” (que gíria mais antiga!) por alguns anos. Se você gosta de gastronomia e tem uma queda pelo vintage, terá um campo aberto para seu negócio.
Mas sugiro que, como sempre indicado, tente se diferenciar, pois muitos tentarão fazer o mesmo nesta tendência deliciosa.

8 – A experiência é tudo
Em geral a experiência que o cliente tem na compra e utilização com uma marca, produto ou serviço sempre foi importante. Hoje, mesmo o habitante de uma grande metrópole parece morar em um vilarejo digital, a experiência deixou de ser importante para o indivíduo, pois pode ser compartilhada.
Ser uma marca eficiente e “boa praça” é o futuro! Se a marca tiver responsabilidade social e ainda trouxer muito retorno ao cliente, é paixão na hora do namoro e amor de longa data.

9 – O WhatsApp se afirmará, e muito
Sim, até a sua avó vai passar a usar o WhatsApp, o que seria a última barreira da idade. Seu pedreiro, sua faxineira, o cobrador de ônibus e, sobretudo, o seu cliente já utilizam este canal. O que faz com você passe a pensar de que forma você pode utilizá-lo nos seus negócios. Minha sugestão é de que você passe a abrir este canal perante os clientes e também o utilize para avisos rápidos, promoções e novidades. A exemplo do que ocorre com email marketing e newsletters, tome cuidado com a periodicidade de envio de mensagens, pois ninguém gosta de excesso de comunicados, sobretudo em seu celular particular.

10 – Diferenciação de mercado
Estamos passando por uma crise que já nos trouxe a uma taxa de inflação alta demais para um país democrático e forte como o nosso. Gestão equivocada dá nisso. Quem sobrevive em meio a crises econômicas é quem se diferencia do mercado. Para isso, nada mais importante do que melhorar os processos e principalmente oferecer mais pelo mesmo preço para que o cliente tenha certeza de que seu capital investido valerá a pena e ele terá o retorno do investimento feito.
Diferencie-se para manter sua marca forte e presente para o seu público.

Quer lançar ou melhorar sua marca na Internet? Que tal entrar em contato com a nossa equipe para conversarmos sobre o seu negócio ou projeto?
Clique aqui e faça contato com a nossa empresa.


Vicenzo Berti - EquipeDigital.comVicenzo Berti é sócio da EquipeDigital.com e trabalha com internet desde o milênio passado. Já trabalhou com vários projetos digitais no Brasil, em Portugal, Canadá, outros estados brasileiros e principalmente em Florianópolis/SC, onde reside.




1 de jun de 2015

Como aparecer no Google?


Veja neste artigo tudo que você precisa saber para aparecer no Google.
Quem já não se fez esta pergunta? Essa questão é tão presente na Internet neste momento que em alguns países estão sendo discutidas leis antitruste por conta do monopólio que está ocorrendo tanto do Google como de outros serviços de internet como o Facebook, por exemplo.

Mas você está lendo este artigo não por que não gosta do Google, pelo contrário, mas sim porque quer entender como os sites são listados neste buscador. Vamos aos fatos.

Em geral há duas formas de aparecer no Google: a listagem orgânica, também conhecida de natural ou gratuita; e as listas de links patrocinados (Google Adwords), naturalmente paga. Veja abaixo uma explicação sobre cada forma de ser o queridinho da gigante digital da Califórnia.

Listagem orgânica ou natural (gratuita)
É de certa forma um erro chamar esta listagem de gratuita, embora a listagem seja feita sem que se pague ao Google para aparecer, mas mais a frente vou explicar por que a listagem pode não ser de certa forma manipulada [polêmica].

Antes de qualquer coisa, você tem que entender como funcionam os robots do Google. Sim, eles não têm a cara do Agente Smith do filme Matrix, mas estão 24 horas por dia e 7 dias por semana vasculhando TODOS, sim, todos mesmo, os sites da Internet. Escapam apenas os sites e diretórios que tem boas restrições ou se comunicam com estes softwares informando para que eles não indexem certos diretórios.

O Google possui mais de mil servidores espalhados pelo planeta Terra. Isso tudo para agilizar a pesquisa de qualquer ponto do planeta que você estiver. Nestes servidores são armazenados todos os arquivos dos serviços da gigante da Internet (GMail, YouTube, BlogSpot, Google Plus etc) e principalmente os robots de indexação dos sites. Estes robots nada mais fazem do que visitar os sites e indexa-los, formando uma listagem baseada em relevância de acordo com as palavras-chave que você digitou no campo pesquisar.

Mas o que é relevância? Esta é a grande sacada do Google! Eles, além de vasculharem a internet, criaram um algoritmo que tem como maior função realizar uma análise rápida dos dados e informar quais sites são mais interessantes para você.
Grosso modo, bem grosso modo mesmo (Ah, seu eu soubesse!), quem está no topo da lista do Google na listagem orgânica? Várias estratégias de Search Engine Optimization podem ser importantes. Seguem abaixo as mais essenciais:

1 – O site ou página deve possuir itens de código dialogando com os robots.
Quem trabalha com Internet deve conhecer os requisitos que os robots adoram para conversar com eles, inserindo códigos no site para prepará-lo e “falar a mesma língua” destes softwares. O cuidado nos metatags, no título da página, na description do site ou mesmo nas palavras-chave inseridas nos códigos, são os pontos iniciais para dialogar com os robots. Pode-se dizer por exemplo que, se o seu site for melhor em um dos pontos a seguir, o seu site nem precisa ser tão bom assim nos códigos perante os robots.

Este diálogo é tão estreito em muitos casos que nós, desenvolvedores de sites e sistemas, usamos inclusive uma metatag no código do site para falar diretamente com os robots. 

2 – Quanto mais links espalhados pela Internet sendo apontados para a página ou site em questão, melhor.
Neste sentido, um termo é muito importante neste caso: a presença digital do site e página. Em geral, automaticamente os sites mais antigos possuem uma presença melhor, pois são indexados também por outros mecanismos de busca, portais de serviço, listas, parceiros e outros locais da Internet. Isso ocorre muitas vezes sem a participação do proprietário ou da empresa contratada para fazer o site.
Entretanto, pode-se dizer que isso pode ser melhorado forçosamente, buscando incluir na maior quantidade de links na Internet menções ao site que você quer ter melhor listado pelo Google. Mesmo que você consiga milhões de menções, mesmo assim precisará esperar, pois nada pode fazer para agilizar a indexação feita pelos robots do Google. Calma e perseverança são muito importantes neste quesito.

Neste quesito, a inclusão do site da empresa no Google Meu Negócio (antigo Google Places) é importante, pois insere de forma padronizada o posicionamento da sede ou filiais da empresa no Google Maps. Em geral para as pesquisas que incluem nomes de cidades, entre a listagem de anúncios e a lista orgânica é apresentado o mapa com os pontos de empresas que tem mais relevância em conjunto com o nome da cidade procurada. Não deixe de pedir ao profissional que fez o seu site para que ele insira sua empresa no Google Meu Negócio. É necessário validação por um código que é repassado ao telefone fixo da empresa e, em alguns casos, esta validação é feita também via correspondência física enviada para o endereço da empresa.

3 – Quanto mais visitação seu site tiver, mais será considerado relevante.
Apenas um dos pontos importantes, que isolado não leva a nada.
Darei um exemplo de como isso é importante. Caso você dê uma entrevista em algum veículo de comunicação de grande massa como a TV, num horário nobre em uma abrangência nacional e indicar a visitação de seu site, a enxurrada de visitas não só pode derrubar seu servidor como também aumentar significativamente sua relevância, pois seu site está sendo visitado por uma quantidade imensa de dispositivos com IPs (Internet Protocol) diferentes.

4 – Conteúdo
Assim como nos códigos do site, os robots adoram conteúdo. 

Conforme os anos se passaram, os algoritmos do Google foram aprimorados para dar cada vez mais importância ao conteúdo textual inserido dentro dos sites. Neste sentido, se for possível, invista mais neste último ponto do que em todos os itens anteriores. Quanto mais conteúdo relevante você disponibilizar ao seu público, melhor será sua presença digital. Mas fique atento, pois estratégias de inbound marketing não dão retorno em curto prazo, mas em médio e longo prazo.
Por que você acha que eu estou escrevendo este texto? Claro que quero explicar a você tudo o que prometi no título do texto, mas você está neste momento acessando o site da empresa que eu represento e pode ser um dos meus futuros clientes, se ainda não for. Caso nunca vá se tornar cliente da EquipeDigital.com, pelo menos me deu uma visita ao site e ajudou os robots a identificar de forma positiva esta página a qual você está lendo este texto. Em outras palavras, enquanto eu estou lhe ajudando a se informar sobre como aparecer no Google você está me auxiliando a melhorar a indexação do site da minha empresa a se tornar mais relevante na Internet. Por falar nisso, obrigado e ao mesmo tempo de nada!

Em geral posso dizer que a melhor coisa que você pode fazer para investir em conteúdo é contratar uma assessoria de imprensa se tiver uma empresa ou instituição de médio para grande porte e, se for uma empresa ou instituição menor, invista na contratação de uma empresa ou profissional de social media para trabalhar com o conteúdo publicado em seu site e também nas redes sociais.
Uma expressão muito utilizada atualmente é que “O conteúdo é rei”. Muito provavelmente a importância do conteúdo é e será por longos anos o caminho para uma boa estratégia de marketing digital. Isso ocorre porque não trata-se de uma estratégia do velho outbound marketing, em que apenas anunciamos um produto ou serviço, mas se trata de uma troca, onde o público contrata a empresa pois consumiu um conteúdo interessante para só depois pensar em contratá-la (inbound marketing).

Invista em conteúdo e nunca se esqueça de que o planejamento é crucial e sem ele você não chegará a lugar algum.

Como anunciar nos links patrocinados (Google Adwords)
O Google Adwords é uma ideia que surgiu de um funcionário que hoje é sócio deste produto na época que a listagem do Google era apenas orgânica. Claro que um dia eles precisavam monetizar esta listagem, que hoje além dos links patrocinados também gera receitas com vendas de dados para grandes corporações do mundo todo.

Para anunciar, basta ter um site ou perfil de rede social e fazer as configurações da campanha. Quando surgiu no início do Século XXI, o serviço de anúncios passou rapidamente a ser a maior fonte de receita da empresa, com mais de 90% de contribuição no faturamento geral da empresa.
O serviço foi revolucionário, pois os anúncios só aparecem se o potencial cliente estiver procurando pelo que o anunciante vende e este por consequência só paga ao Google caso o interessado clicar no anúncio veiculado. Além disso, o Adwords utiliza os algoritmos da busca orgânica para avaliar os sites dos anunciantes e fazer uma relação de custo por clique necessário e organiza uma espécie de leilão. Aparece no topo quem tem uma relação melhor entre pagar mais por clique e tem uma melhor relevância na página a ser visitada pelo público.

Para quem tem uma verba de publicidade pequena foi a redenção, pois ao contrário de veículos tradicionais de comunicação onde se paga sem garantia alguma de que seu público verá o anúncio, no Google Adwords o investimento praticamente sempre dá retorno. E mais, há toda uma possibilidade de avaliação de métricas de quais palavras-chave e anúncios tiveram melhor desempenho.
Pode-se dizer que os anúncios em links patrocinados no Google deram a possibilidade de que pequenas e microempresas pudessem aparecer no mesmo nível de importância do que grandes corporações. Em certa forma se tornou rapidamente uma forma mais democrática de publicidade.
O Google nunca vai dizer isso publicamente, mas é sabido que o investimento em links patrocinados melhora substancialmente a indexação na listagem orgânica ou gratuita. Seja porque o site naturalmente passa a ter mais visitação por conta das visitas oriundas dos anúncios, como pelo fato de que o Google tem mais retorno se o site do anunciante for mais visitado.

Se você quer anunciar, pode fazer isso diretamente com o Google, investindo apenas o valor de veiculação dos anúncios. Entretanto, caso queira focar seus esforços nos seus negócios, sugiro contratar um profissional especializado para criar, gerenciar e aperfeiçoar sua campanha. Com isso você pode contar com a assessoria de uma empresa para ficar atenta e principalmente manter seu site no topo da listagem de anúncios. Como se trata de um leilão, se você não aperfeiçoar sua campanha, fatalmente terá os anúncios rebaixados e terá menor retono.

Seja para criar seu site ou sistema, melhorar sua presença digital, anunciar no Google ou mesmo trabalhar com o conteúdo de seu site, conte com a nossa equipe de profissionais especializados. Muitas vezes com um investimento pequeno em comparação a possibilidade de retorno que você pode ter, nós podemos montar uma campanha para aumentar suas vendas e a visibilidade de sua marca perante seu público prioritário.
Clique aqui e faça contato com a nossa empresa


Vicenzo Berti - EquipeDigital.comVicenzo Berti é sócio da EquipeDigital.com e trabalha com internet desde o milênio passado. Já trabalhou com vários projetos digitais no Brasil, em Portugal, Canadá, outros estados brasileiros e principalmente em Florianópolis/SC, onde reside.